Últimas Notícias

O uso do contraste em Ressonância Magnética

O agente de contraste utilizado em imagiologia de ressonância magnética é a substância ativa gadoversetamida, um produto derivado do gadolínio. 

Este medicamento é injetado regularmente via acesso endovenoso durante a realização do exame para realçar órgãos e estruturas e inclusive as lesões.  

O aspecto do realce é importante e irá fornecer informações específicas que auxiliam diagnósticos mais precisos. Portanto, aumentam a acurácia no diagnóstico final.

A necessidade do uso do contraste varia de acordo com o local a ser examinado e/ou a patologia específica.

Avaliar a necessidade de uso do contraste

No preparo do exame enviado aos nossos pacientes, informamos a probabilidade de ser necessária a administração do contraste.

Pacientes com mais de 60 anos, cirurgia renal ou alteração da função renal é necessário o resultado recente de Creatinina. Solicite-o ao seu médico com antecedência.

Todos os exames de ressonância magnética realizados no SalomãoZoppi Diagnósticos são acompanhados por médicos    preparados para atender com qualidade e rapidez pacientes que apresentarem  efeitos colaterais após o uso do contraste. 

Atenção: o contraste utilizado na ressonância magnética é diferente do utilizado em tomografias computadorizadas. Enquanto essas são realizadas com iodo, que apresenta efeitos colaterais com maior frequência, na ressonância usa-se o gadolínio.

Contraindicação

 A injeção do contraste de gadolínio é contraindicada em pacientes:

  • com disfunção renal grave (TFG < 30 ml/min/1,73 m²);
  • com lesão renal aguda;
  • que se submeteram a transplante hepático ou em período perioperatório de transplante hepático;
  • recém-nascidos com até 4 semanas de idade (não há estudos demonstrando segurança na literatura).

Hipersensibilidade

O risco de reações de hipersensibilidade ao gadolínio aumenta nos seguintes casos: 

  • em doentes com predisposição alérgica;
  • em doentes com asma brônquica – aumenta-se especialmente o risco de broncoespasmo;
  • em doentes com antecedentes de reações a agentes de contraste.

A maioria das reações de hipersensibilidade (reação alérgica) detalhadas no quadro abaixo ocorre em menos de meia hora após a administração do contraste.

Em casos raros, podem ocorrer reações tardias de hipersensibilidade (após horas ou dias) para meios de contraste da mesma classe. Entretanto, nenhuma reação foi relatada em ensaios clínicos completos.

Amamentação

A amamentação deve ser realizada 24 horas após a administração contraste endovenoso. 

Efeitos secundários possíveis

Estudos recentes demonstraram a frequência de possíveis efeitos colaterais dos medicamentos derivados do gadolínio. 

Frequência dos efeitos colaterais Tipos de efeitos colaterais
Frequentes
(podem afetar até 1 pessoa em cada 10)
Sabor estranho na boca, sensação de calor, dores de cabeça.
Pouco Frequentes
(podem afetar até 1 pessoa em cada 100)

Reação alérgica/hipersensibilidade, tonturas, sensação de formigueiro, entorpecimento, olfato reduzido, pele vermelha e quente, congestão nasal, dor de garganta , náuseas, diarreia, comichão, erupção cutânea, desconforto no peito, dor no peito, sensação de frio ( com sensação de frio nas extremidades), reações no local da administração, alterações dos níveis de cálcio no sangue.


Raros
(podem afetar até 1 pessoa em cada 1.000)

Diminuição do apetite, sensação de ansiedade, distúrbios do sono, sensação de sonolência, sensação de ardor, uma sensação de movimento ou vertigens, zumbido nos ouvidos, vermelhidão da pálpebra, dor ocular, visão desfocada, olhos vermelhos, consciência do batimento cardíaco, batimentos cardíacos irregulares, batimentos cardíacos extra, pressão arterial baixa, falta de ar, rouquidão, corrimento nasal, aperto na garganta, água na boca, dor abdominal, obstipação (prisão de ventre), boca seca, urticária, suores frios, vermelhidão, suores, nível sanguíneo mais elevado de uma substância (creatinina) que é habitualmente eliminada pelos rins, sangue na urina, inchaço facial, fraqueza e sintomas semelhantes a fadiga e sensação geral de mal-estar, febre, inchaço nos membros, arrepios, dores, sensação de frio nas extremidades, aumento da enzima hepática, análise da urina anormal, aumento dos valores de minerais na urina, proteínas na urina, aumento da enzima cardíaca e muscular, diminuição da hemoglobina, sensação de confusão e desorientação, tremores, convulsão, olhos com tom rosa, batimento cardíaco rápido, pressão arterial alta, aperto nas vias respiratórias, garganta ou cordas vocais inchadas, dor de garganta, tosse, comichão no nariz, espirros, sudação.


Muito Raros
(podem afetar até 1 pessoa em cada 10.000)
Inchaço em volta dos olhos, traçado cardíaco do ECG anômalo, desmaios, vômitos.
Desconhecidos
(a frequência não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis)
Endurecimento da pele que pode afetar também os tecidos moles e os órgãos internos (fibrose sistêmica nefrogênica), sensação de mal-estar.




Em caso de dúvida, entre em contato com a nossa Central de Acolhimento ao Cliente (CAC) pelo (11) 5576-7878.